terça-feira, 11 de março de 2008

11 DE MARÇO DE 1975 -- 33 ANOS


--- Precisamente neste dia de hoje, "comemoram-se" 33 anos sobre os "acontecimentos" da "inventona", "intentona" ou o que queiram chamar a mais um dos tradicionais embustes de que Portugal foi vítima durante o famigerado PREC, de tão gratas recordações para alguns dos ditos Partidos Democráticos que proleferaram como cogumelos depois do 25 de Abril de 1974.
--- Podia contar algumas das muitas peripécias acontecidas na Base Aérea nº. 3, em Tancos, de onde o então General António de Spínola "se ausentou" para a Base de Talavera de la Reyna, a fim de "passar umas férias descançadas" e para não ter de aturar aquela rapaziada entusiasta que, na Praça de Touros do Campo Pequeno, no dia 28 de Setembro do ano da Revolução, o "aclamara" de um modo tão ternurento. Mas não vou contar muita coisa, porque já se disse tanto - e tão pouco - sobre este assunto, com mentiras e verdades, recusa e assunção de protagonismos que levam a poder afirmar que nesta verdade que foi o 11 de Março, se ouviram demasiadas mentiras. Porquê? Por quem? Para quê? Será que algum dia saberemos o que realmente aconteceu? Não será muito difícil desmontar a cabala em que caíu Spínola e os seus fiéis.
--- Uma das histórias muito mal contadas é a participação da R.T.P. em todo este processo. Quando os aviões da Base Aérea nº. 3 cruzaram os céus sobre o Regimento de Artilharia nº. 1 - rebaptizado RALIS ou Regimento de Artilharia de Lisboa, após a "inventona" - já os jornalistas e operadores de imagem da Televisão estatal se encontravam a postos, nos pontos mais favoráveis e prontos a recolher tudo o que pudessem para mostrar, em diferido, ao País. Quem os avisou? O Adelino Gomes poderia já ter feito luz sobre o assunto, mas nada! A RTP fez uma cobertura exaustiva de todos os acontecimentos daquela manhã, a partir de locais que foram préviamente escolhidos, como se alguém lhes houvesse distribuido o guião da festa com muita antecedência. Foram avisados pelo PC ou pelo General Spínola?
--- Tendo sido o Major César Neto Portugal um dos Pilotos que atacou o RALIS e sendo ele cunhado de Vasco Gonçalves, não repugna pensar-se que teria sido este a avisar a Televisão. Ramalho Eanes teria tomado conhecimento através do próprio César Neto Portugal e, de uma forma imprevidente, deu conhecimento a Vasco Gonçalves? Ou será que a RTP foi realmente informada por quem encenara todo o espectáculo e que assim armadilhou o golpe spinolista? Muitos Militares, comprometidos com Spínola, esperaram pacientemente pela emissão da RTP para saberem o que se teria passado em Lisboa, porque a ideia era esta: se em Lisboa tudo estivesse a correr como combinado, eles sairiam para a rua, caso contrário iriam permanecer quietinhos, para a "coisa" não estourar. Mas a RTP, às 13H00, estava a emitir um programa para crianças, pelo que deveria alguma coisa ter corrido mal em Lisboa. Assim ficaram desde logo fora de acção os homens de mão de Spínola em Lisboa e evitou-se que o resto do País se entusiasmasse e aderisse em massa ao golpe.
--- Porque falhou o golpe? Porquê a desmobilização dos spínolistas, cujo ânimo parece ter esfriado na "hora H"... ou porque a Televisão não noticiou nem mostrou imediatamente aquilo que recolhera sobre o ataque em força ao RALIS? E não o fez... porquê?
--- O Movimento das Forças Armadas considerou de imediato ter havido "um golpe reaccionário contra o 25 de Abril e declarou desde logo como reaccionários todos os militares implicados no 11 de Março, pois pretenderiam repôr a situação anterior ao 25 de Abril". O ter a Televisão feito silêncio serviu para que o MFA os acusasse de mostrar "que o contragolpe da esquerda estava a vencer, interessando dizer às forças civis progressistas que poderiam manter a esperança de que a 'reacção não passaria'!"
--- Eu estive em Tancos, porque havia sido escalado como Comandante da Guarda na Base Aérea nº. 3, e assisti a algumas coisas acontecidas na noite de 10 para 11 de Março, naquela Base, que veio, mais tarde, a sofrer a retaliação que tardou, mas não faltou: - Viu encerrada a sua actividade aérea e de instrução, passando para as mãos do Exército, o 1º. utente daquele espaço, quando da passagem para a Aeronáutica Militar e, posteriormente, para a Força Aérea Portuguesa.
--- E os comunistas jamais deixaram em paz a Unidade que, depois do cobarde ataque feito pela ARA, com a destruição total de várias aeronaves, utilizaram os Páraquedistas, no 25 de Novembro, para a ocupar, juntamente com outras Bases... até que vieram a conseguir os seus intentos, quando o Governo deu a BA3 aos homens da Boina Verde. Não acredito em bruxas... mas que as há...há! Não foi isto uma vingança, pelo papel da BA3 no 11 de Março? Alguém terá dúvidas? Eu não!

1 comentário:

Sabe disse...

Cesar Neto Portugal cunhado de Vasco Gonçalves?? Ainda bem que ninguém lê isto porque o Sr. não sabe sequer o que diz!!!!