quarta-feira, 5 de março de 2008

CINQUENTENÁRIOS...


... A Força Aérea Portuguesa já passou a idade em que as pessoas começam a deitar contas à vida, pois comemora este ano, no dia 01 de Julho, 56 anos de vida... como Ramo indepensente das Forças Armadas. Isto porque a partir de 1952 foi concedida a emancipação à mais jovem das nossas Armas... não a independência total, como se compreenderá, pois a FAP depende de um Governo, que tem um Ministro da Defesa a tutelar a Arma... e esta "responde" ainda, hierárquicamente, perante um Chefe de Estado Maior General das Forças Armadas, sendo este o braço direito do Ministério para o cabal cumprimento das Missões que possam ser cometidas às Forças de Terra, Mar e Ar.
... Uma consequência lógica dos 56 anos da FAP, é estarem outros Departamentos, Direcções ou Serviços a cumprir os seus cinquentenários, como, por exemplo; a Direcção dos Serviços de "Intendência e Contabilidade da Força Aérea", o "Serviço Religioso da Força Aérea" ou o " Centro de Recrutamento da Força Aérea", que inicialmente estava "aliado" à Direcção dos Serviços de"Instrução", a DSRI, mas foram separados no decorrer dos anos, autonomizando-se. Apesar de já não estarem integrados no Ramo Aeronáutico, após a sua passagem para aos Quadros do Exército, como Tropas de Infantaria Aerotransportada, também os nossos "Boinas Verdes",os briosos "Páraquedistas" Portugueses, cumpriram agora 50 anos de bons e relevantes serviços, especialmente gratificantes pelo trabalho de excelência efectuado em terras de África, nas 3 frentes da guerra do Ultramar ali acontecidas. Foram trinta e oito os anos de completa integração na Força Aérea Portuguesa, podendo dizer-se que aqui ganharam asas para voar.
--- Mas... quando foi que Portugal se iniciou nestas coisas da conquista do ar? Iremos dissecar esta pergunta, tentando responder à mesma o melhor que podemos e sabemos, com a verdade que usamos pôr em tudo aquilo que fazemos. Para tal razão, iremos revirar os baús da nossa memória e na dos amigos, pois estes estão sempre prontos a colaborar em prol de uma causa que abraçaram e consideram sua: Divulgar as coisas do ar! Não dos últimos 50 anos, como Arma Independente, mas de toda uma vasta epopeia que valerá a pena conhecer, começada com o Padre Bartolomeu de Gusmão e a sua "Passarola" e hoje presente nos modernos F-16MLU, Alpha Jet ou Merlin.

Sem comentários: