terça-feira, 6 de maio de 2008

III - AERONÁUTICA MILITAR

Sabre F-86

  • * Ao iníciar-se a era do "avião a jacto", os alemães foram os primeiros a construír esta aeronave, em 1939, usando desenhos de motores feitos pelo inglês Whittle, que se tornaram decisivos para o desenvolvimento deste tipo de avião. As velocidades dos aviões comerciais começariam então a aproximar-se da velocidade do som.
  • * Como já se falou aqui, o vôo dos pássaros inspirou o homem a realizar viagens aéreas. No entanto, não se elevou com asas sobre a superfície terrestre, mas sim num balão, que é MAIS LEVE QUE O AR! Os balões eram veículos perigosos, pois não podiam ser dirigidos; os dirigíveis eram mais seguros, porém lentos e aparatosos. Por essa razão, acabou se impondo o princípio MAIS PESADO QUE O AR, que dominou o desenvolvimento da aviação. Quer seja a aeronave mais leve ou mais pesada que o ar, o seu desenho e a sua capacidade de vôo dependem apenasdas qualidades do ar: densidade, pressão, temperatura, etc. Não é difícil entender que um balão cheio de gás mais leva que o ar se eleve. Mas para compreender como um avião pesado pode voar... é necessário entrar nos domínios da aerodinâmica. Quando um avião se locomove pelo ar, este passa pelas partes superior e inferior das asas.
  • * Devido à ligeira curvatura (aerofólio) destas e ao seu ângulo, a corrente de ar é mais rápida na parte superior do que na parte inferior, onde se detém. O resultado é o de uma forte "aspiração" na parte superior, apoiada por uma menor pressão na inferior. Essas duas razões dão origem ao impulso ascendente das asas do avião. Este é impelido para a frente em virtude do seu próprio peso, como acontece com os planadores, ou pela força do motor. Quando o motor põe o hélice em movimento, as pás desta cortam o ar como se fossem asas. Produz-se então uma força de sucção na parte da frente, a qual diminui à medida que o avião aumenta de velocidade. Essa força faz com que o aparelho seja impelido para a frente. Quando a resistência do ar é igual à força de tracção da hélice, o avião alcança uma velocidade constante. No ar pouco denso, encontrado a grandes altitudes, a resistência é baixa; aí, então, a hélice não funciona bem.
  • * O avião a jacto não possui hélices. No seu turbojacto o ar é aspirado, indo contribuír para a queima de combustível. Os gases do escapamento são lançados, a grande velocidade, para trás, produzindo uma força de reacção para a frente. O rendimento é melhor à medida que a velocidade aumenta. O motor a reacção consegue trabalhar numa atmosfera menos densa do que o hélice.

Sem comentários: