terça-feira, 4 de novembro de 2008

RESSONÂNCIAS DE UM ALMOÇO...

No passado dia 25 de Outubro, conforme o programado pela Comissão Organizadora, realizou-se o VII Encontro-Convívio do pessoal Militar e Civil - e famílias - que estiveram ao serviço da Força Aérea na antiga Base Aérea nº. 3, que funcionou em Tancos. O evento ocorreu no complexo turístico da Quinta da Ponte da Pedra/Restaurante Palmeira, na Vila Nova da Barquinha e contou com cerca de duas centenas e meia de convivas, que antes assistiram a uma Eucaristia em Acção de Graças pela efeméride - 87º. aniversário da Unidade - e em sufrágio pelas almas de todos os Militares e Civis já falecidos.
Considerando o facto de haver outras realizações marcadas para a mesma data, em especial uma sessão solene da Associação da Força Aérea Portuguesa, para além do momento de crise que se verifica um pouco por toda a parte, o número de participantes foi bastante positivo.
Pena é não se chegar a entendimentos quanto às datas dos eventos que se vão realizando pelo País, promovidos por Militares, pois constata-se não serem respeitadas as datas correspondentes ao "Dia da Unidade" da maioria dessas Unidades, especialmente das que foram sediadas no antigo Ultramar.
A Base Aérea nº. 3 tem quase toda a sua história centrada no mês de Outubro, porque foi fundada em 27 desse mês, no ano de 1921, como Esquadrilha Mista de Treino e Depósito. Nesse dia aterraram nela, pela primeira vez, dois aviões Caudron G-3, pilotados pelo Capitão Ribeiro da Fonseca, que foi o 1º. Comandante da Unidade, e o Capitão Luis Gonzaga. Em 1927, no dia 28 de Outubro, passou a designar-se como Grupo Independente de Aviação de Protecção e Combate - Grupo de Caça. No dia 30 de Outubro de 1939 passou a designar-se, oficialmente, como Base Aérea nº. 3.
Esta a razão porque o Encontro/Convívio se realiza sempre no que foi o "Dia da Unidade" na BA3.
O próximo evento deverá realizar-se no dia 24 de Outubro... esperando-se que não haja coincidência nas datas que venham ser marcadas para outras assembleias de Militares.
A Comissão gostaria de dar pública informação de que não ficou satisfeita com aquilo que a austeridade obrigou a "cortar" em termos de programação. Para a próxima pretende-se ressarcir os participantes, dando-lhes novos aliciantes que os motivem a estar presentes. Isso fazem questão de honra!
Também não houve a resposta esperada ao pedido de material capaz de ser exposto para dar a todos os presentes uma ideia do que foi o percurso da Base nos seus muitos anos de vida. Para o próximo evento estaremos dispostos a fazer essa exposição, para a qual iremos pedir o apoio ao Arquivo Histórico da Força Aérea, ao Museu do Ar e à revista Mais Alto. E vamos continuar a contar com o apoio daqueles que estiveram na BA3 e que tenham objectos daquela que foi, é e será sempre o objecto da nossa saudade.

Sem comentários: