terça-feira, 31 de março de 2009

HÁ SEMPRE UM SONHO...

Hoje é a véspera de amanhã... sei que já o sabem, claro, mas é sempre bom lembrar que o amanhã, início do mês de Abril, começa hoje, fim do mês de Março, e isto algo tão imutável como o destino.
Esta noite sonhei estar em Tancos, algures no Monte D. Luis, a respirar o ar puro dos arvoredos que são a envolvente da Base Aérea 3... desculpem lá: da Base Aérea de Tancos será "muita areia para a camioneta" dos novos senhores do pedaço - como diriam os brasileiros - porque uma Base é para aquelas que são, verdadeiramente, Forças do Ar, como é o caso da FAP, ou para a "Maruja", que tem este nome feudal registado para o seu Alfeite desde há muitos anos.
No Exército temos os Batalhões, os Esquadrões, os Regimentos, as Escolas de..., mas as Bases são património com marca registada, e estamos conversados a este respeito, parece.
Como eu falava de um sonho, posso dizer que deste constava um "flick-flack com mortal empranchado e enrolamento ventral" feito pelo Dr. Severiano, pois este devolvia à Força Aérea o pleno uso daquele pedaço de chão que nos é tão querido e tão saudoso, tão... tudo aquilo que quizerem, desde que não venham atrapalhar o meu sonho!
Nesse sonho vi uma BA3 toda engalanada, exuberantemente vestida de gala e plumas, com muita música no ar para receber de volta os aviões e helicópteros que eram uma razão da sua existência, tal como o foram aquelas "hordas ululantes" de jovens em instrução, que ansiavam pelo dia do Juramento de Bandeira ou do fim do curso, porque apenas aqui terminariam o estafado rame-rame do "esquerdo... direito... esquerdo...direito... um... dois... esquerdo..." do marchar cadenciado que lhes ia sendo orientado pela voz monocórdica de um graduado que nunca se cansava de lhes repetir: "esquerdo... direito... esquerdo... direito... um... dois... esquerdo...".
Voltei a ouvir a sirene, outrora "comandada" superiormente pelo Cabo Bento Pinto e agora pelo Cabo Chico... ou qualquer outro designado para o efeito.
Ainda me é possível "ouvir" o Capitão Neves - o Barracas para os amigos - a perorar sobre o seu Benfica e as dificuldades em controlar o material da EMI, especialmente as redes mosquiteiras ou o Sheltox para as moscas que demandam o Bairro de Oficiais e a Messe respectiva. Depois é o "Tenhôr" Marinho que tem a culpa ou o Ajudante Eugénio Carlos, pois não comprou o que era preciso.
Na Cantina, o Sr. Antunes vai cortando um bacalhau em postas, enquanto o Ajudante Domingos dos Santos vai dando dois dedos de conversa ao Ajudante Silva e ao Capitão Pereira. O Capitão Prazeres providencia a divulgação de mais um dos seus magníficos trabalhos para a Prevenção de Acidentes enquanto o Primeiro Manuel Estrela vai tratando dos cartões de livre circulação nesta Base, onde o Chico e a sua equipa procuram deixar bem limpinha da Silva, um verdadeiro brinquinho, como soe dizer-se. Na Messe temos o Capitão Goulart, o Primeiro Franco e o Estevão a dar mil voltas à "mona" para que o almoço possa ter uma boa apresentação, seja do agrado de todos, em quantidade e com boa qualidade, enquanto o Capitão Tomaz espera, ansioso, que nasçam mais uns leitões, enquanto comtempla o gado vacum que costuma pastar nos verdejantes prados do Seival.
Não sei bem se foi algum "calhau" que caíu em cima da árvore sobre a qual eu dormitava, pois apenas sei dizer que acordei... e vi que estava em pleno dia 01 de Abril, nada mais nada menos que o DIA DAS MENTIRAS.
Todo o sonho não passou disso mesmo, de uma mentira colossal... bestial... talvez mais isto do que outra coisa, porque num País onde há um Governo autista... quem se atreveria em ir contra a vontade daquele outro que era formado por masoquistas, daqueles que davam "aquilo e oito tostões" para conseguir ver o Zé desiludido!
Nem é preciso ser-se Severiano, porque há Nogueiras que foram Ministros da mesma estirpe de outras pessoas capazes de destruír um sonho... possivelmente porque nunca sonharam e nunca pensaram sériamente no dia de amanhã: 01 de Abril de 2009.

3 comentários:

Anónimo disse...

Essa do "calhau" está boa.
Nalguns sítios que conheço, cair-lhes uma pedreira era pouco.

Abraços

Anónimo disse...

Com este governo a Base ainda é desclassificada, alegando-se um projecto PIN, e vira centro comercial.
Claro que, possivelmente, haverá un porto para receber os fees

Anónimo disse...

Também eu muitas vezes sonho em lá voltar! E acordo em angústia...