domingo, 18 de julho de 2010

"...em perigos e guerras esforçados..."


Uma das Sub-Unidades que orgulhou a ex-Base Aérea nº. 3, que foi sediada em Tancos, foi a Esquadra 552, constituída a partir de Novembro de 1978 por acção da reorganização verificada na Força Aérea, que produziu importantes alterações na sua estrutura orgânica.
Na B.A.3 o antigo Grupo 301 mudou de designação para Grupo Operacional 31, constituído pelas:
- Esquadra 111 - à qual passou a competir a Formação de Pilotos de Helicópteros, Aviocar e Navegadores;
- Esquadra 552 - ficou como responsável por toda a actividade operacional dos helicópteros, em conjunto com a Esquadra 551, da Base Aérea nº. 6 - Montijo.
Mercê de uma nova reorganização verificada na Força Aérea, em Outubro de 1986 é extinta a Esquadra 551, no Montijo, o mesmo acontecendo à Esquadra 111 no mês de Abril de 1993. Os efectivos em aeronaves e as competências operacionais passam para a égide da Esquadra 552.
Foi na Base Aérea nº. 3 que, a partir de Abril de 1976 e integrados na então Esquadra 33, se formou a patrulha acrobática "ROTORES DE PORTUGAL", que teve a sua primeira actuação no festival aeronáutico realizado na Base Aérea nº. 1 - Sintra. Aos comandos dos quatro hélis Alouette III estavam o Major Pilav Félix Rafael, o Capitão Piloto Rui Jofre, o Capitão Pilav Mário Reis e o Tenente Pilav João Cavaleiro. Como responsável pela manutenção das aeronaves o Capitão TMMA Cancela. O fumos foram uma ideia do Capitão Rui Jofre, passando o seu uso a ser feito, partir de 1978, em todas as exibições.
Deixaram de se exibir entre 1980 e 1982, ano em que voltaram, mas agora integrados na Esqª. 552. Entre 1991 e 1992 os ROTORES estiveram integrados na Esquadra 111 e era composta por Pilotos instrutores, que operavam 3 helicópteros em simultâneo.
Com a extinção da Base Aérea nº. 3, a partir de 1994 é a Esquadra 552 transferida para a Base Aérea nº. 11, em Beja, mantendo-se como fiel depositária das tradições aeronáuticas inerentes ao emprego operacional dos helicópteros ligeiros em Portugal, pelo que lhe foram concedidas, ao longo dos anos, as mais diversas condecorações, outorgadas pelos mais altos representantes do País e por diversas instituições nacionais e estrangeiras. Entre as mais importantes conta-se a Medalha de Ouro de Valor Militar, atribuída em 07 de Fevereiro de 1992.

É Missão Primária da Esquadra:

- A execução operacional de apoio aéreo ofensivo;
- O apoio aéreo próximo;
- O apoio aéreo táctico;
- A execução de operações de transporte aéreo táctico;
- As operações aero-transportadas;
- O apoio aéreo logístico;
- As evacuações sanitárias.

Como Missão Secundária, compete-lhe:

- A execução de operações de salvamento;
- A execução de operações de transporte aéreo geral.
Foi um orgulho para a Base Aérea nº. 3 ter sido "mãe" de tal Esquadra, porque ela honrou a BA3, a Força Aérea e o País. Nesta Esquadra se criou um alfobre de Homens que elevaram bem alto o nome da Pátria que juraram SERVIR, cumprindo para além do dever "EM PERIGOS E GUERRAS ESFORÇADOS"!

Sem comentários: