sexta-feira, 15 de outubro de 2010

OS CONTRATADOS DA FAP

No dia em que tive o desgosto de vêr entregar ao Exército a antiga Base Aérea nº. 3, recordo ter dito ao então Capelão Chefe, o saudoso Padre Manuel Baptista Gonçalves Pedro, que lá havia sido Capelão, que aquilo era o sinal dos tempos e a Força Aérea, de cedência em cedência, iria acabar por desbaratar todo o seu património, pois os anéis estavam a começar a ser vendidos ao desbarato.
Tive de imediato o pressentimento de que a coisa não iria ficar por ali, pois forçoso seria diminuirem os quadros, até porque não havia necessidade de tanta gente, depois que fecharam as Unidades no Ultramar, e agora estavam a ser encerradas as Unidades metropolitanas... logo o pessoal seria reduzido forçosamente, o que veio a verificar-se.
Depois tentou-se a semi-profissionalização dos Militares, fazendo-se contratos daqueles que se tornavam necessários para o regular funcionamento das Unidades, mas poderei afirmar ter sido um tiro no pé dado pela hierarquia, já que o terem terminado com o Serviço Militar Obrigatório forçosamente acabou com os Soldados, desfalcando de um modo especial a Polícia Aérea, que nunca mais conseguiu ter efectivos completos, chegando-se ao ponto de se ter pensado em colocar empresas de segurança a policiar as Unidades e Serviços... esquecendo que bastaria pagar aos jovens que na FAP foram especializados em Polícia Aérea o mesmo que iriam pagar às firmas de Segurança e tinham o problema resolvido.
Mas agora... O GOVERNO RESOLVEU REDUZIR EM 3.000 O NÚMERO DE CONTRATADOS QUE ESTÃO AO SERVIÇO!
AINDA VEREMOS OS SARGENTOS A FAZEREM SERVIÇO DE GUARDA E REFORÇO E OS OFICIAIS SUBALTERNOS COMO CABOS DA GUARDA!
Longe vão os tempos em que as Paradas se enchiam de garbosos rapazes que enchiam o peito de orgulho no dia do seu Juramento de Bandeira!
Longe vão os tempos em que a Força Aérea tinha orgulho em dar formação aos jovens que nela haviam escolhido servir a Pátria, pois o facto de envergarem a farda azul ou o camuflado com a Boina Azul na cabeça dava-lhes a noção de que estavam a contribuír para a dignificação e o prestígio cada vez maior da Arma de Aeronáutica Militar Portuguesa.

1 comentário:

Cabral disse...

Gostaria de saber mais sobre a antiga base aérea numero 3, informações sobre o corpo de policia aérea, e principalmente o inicio da policia aerea na força aérea. se me puder ajudar agradeço.

Cabral_pa@hotmail.com