quarta-feira, 24 de novembro de 2010

GREVE... 25 DE NOVEMBRO...

NOS TEMPOS EM QUE "MILITEI" NAS FILEIRAS DA FORÇA AÉREA, MAIS CONCRETAMENTE NA ANTIGA BASE AÉREA Nº. 3, QUE EXISTIU EM TANCOS, FUI UM ACÉRRIMO DEFENSOR DOS DIREITOS DOS TRABALHADORES... MESMO QUE FOSSE ANTI GREVE, PORQUE ANTI COMUNISTA CONVICTO, APESAR DE SABER BEM QUE MUITAS DAS SUAS TESES SÃO ACEITÁVEIS PARA QUALQUER PESSOA QUE ESTEJA CONSCIENTE DE QUE OS SEUS FILHOS TÊM O DIREITO SAGRADO E INALIENÁVEL DE PROMOVER A LUTA PELA SUA FELICIDADE E A DOS SEUS FAMILIARES.

Não é crível que o País tenha mudado de forma tão substâncial que me leve a ter hoje, dia de GREVE GERAL, outra forma de vêr a realização desta manifestação de desagrado para com as medidas absurdas tomadas pelo Governo da República, em nome de uma necessidade premente em fazer regredir o caminho vertiginoso que se está a fazer rumo ao caos.
O Partido Socialista está hoje perante o dilema de nos colocar na miséria ou de mão estendida à caridade dos transeuntes... mas sabe-se que os detentores das benesses governamentais têm procurado colocar a bom recato os seus avultados pés de meia e não vão querer dividir com ninguém aquilo que lhes custou a militância no Partido.
Sei que não terá nada uma coisa a vêr com a outra, mas também é este o tempo em que os Portugueses resolveram gritar BASTA e repôr a "verdade revolucionária" que se julgou haver sido referendada no dia 25 de Abril de 1974.
Amanhã, portanto como uma continuação deste dia de Greve Geral, passa mais um aniversário do grito de revolta que foi solto contra a escalada Gonçalvista e do PCP em detrimento dos princípios instituídos pelo MFA.
Para dizer mais claramente, o 25 de Novembro de 1975 é um "golpe militar" inserido no processo contra revolucionário que estava patente no estado a que o PREC estava a conduzir o País.
Na assembleia do MFA realizada em Tancos, Pinheiro de Azevedo que esta assembleia seria um verdadeiro golpe de Estado, pois foi aí que uma manobra bem estruturada veio a liquidar a hipótese de Vasco Gonçalves vir a ser nomeado Chefe do Estado Maior General das Forças Armadas.
Também se comemoram hoje as celebradas BARRICADAS DE RIO MAIOR. Foi por elas que os comunistas militares vieram a perder o pé, até pelo facto de estas terem sido multiplicadas por outras estradas do País, dividindo Portugal em NORTE e SUL!
Não tenhamos ilusões: O 25 DE NOVEMBRO FOI UMA LUTA ENTRE DUAS FACÇÕES MARXISTAS, EM QUE A FACÇÃO MAIS MODERADA ACABOU POR TRIUNFAR, impondo a Portugal uma Constituição Marxista, aqui com a conivência do Partido Socialista . O líder socialista Mário Soares ganhou as eleições com o "VOTO ÚTIL" dos então chamados PPD e CDS, mas os Socialistas e o seu líder acabaram por se aliar ao Partido Comunista para votar a Constituição de 1976.
É bom que o Povo, hoje em greve geral, não esqueça quem o tem tramado desde tempos imemoriais. E eu não fui, acreditem!

Sem comentários: