segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

SIC TRANSIT GLORIA MUNDI

"ASSIM PASSA A GLÓRIA DO MUNDO" é uma conhecida expressão originada no Latim e que era utilizava , até 1963, no cerimonial de coroação do Papa, quando um dos Mestres de Cerimónias proclamava por três vezes "Sancte Pater, sic transit gloriae mundi", recordando Sua Santidade da natureza transitória da vida e das honras terrenas.
Durante a minha passagem pelas terras da guerra, seja em Angola ou em Moçambique, tive ensejo de "visitar" várias moradas eternas de camaradas de caminho que "resolveram" permanecer por lá, em virtude de abandonarem a "terra dos vivos" para descansarem das agruras da guerra que por lá grassava.
Aí, em alguns mausoléus , via-se inscrita a frase que nos serve de título e, muito naturalmente, havia sempre alguém que perguntava o significado da mesma, talvez porque o latim não lhes fosse nada familiar, apesar de ser uma chave de toda a língua portuguesa, como é lógico deduzir-se a partir do facto de Roma ter dominado grande parte da Europa, incluíndo-se Portugal, evidentemente.
Expliquei bastas vezes o significado da locução e de algum modo deixei que as pessoas extrapolassem sobre a mesma, procurando corrigir os exageros de molde a que não ficassem com ideias erradas sobre o significado real.
Dizia-lhes então que a glória do mundo é sempre transitória, uma vez que todos somos iguais perante a morte! Que importam as ideias de grandeza se aquilo que nos espera é sempre a volta ao pó?
E muitas vezes recordo toda a importância que foi dada à Base Aérea nº. 3, que chegou a atingir padrões de excelência no cômputo de todas as Unidades da FAP... para que um belo dia fosse votada ao ostracismo por parte de quem um dia a ousou ver no auge!
Com César Augusto, Napoleão, Hitler, Wellington, Patton, De Gaulle e tantos outros grandes senhores da guerra... não aconteceu outro tanto? Não foi Kennedy alguém que se julgava acima do comum dos mortais... e foi "retirado do mundo" com um simples tiro disparado à traição? Não são estas situações que demonstram quão transitória é a vida daqueles que um dia viveram na glória? Não conhecemos gritantes exemplos de ídolos com pés de barro, que caíram imolados pela precaridade da fama que os havia envolvido?
No final deste ano da graça de 2010, vejamos até que ponto contribuímos para que a transitoriedade das nossas vidas seja uma realidade... apenas e tão só porque não nos dispuzemos a reflectir nesta frase lapidar tão profunda: SIC TRANSIT GLORIA MUNDI!
E que o 2011 seja o repositório de todas as coisas boas que pretendemos para a nossa vida, espacialmente quanto a SAÚDE, AMOR, TRABALHO, ALEGRIA, FELICIDADE...
...ENFIM: UM BOM ANO PARA TODOS VÓS!!!

Sem comentários: