sexta-feira, 27 de maio de 2011

HÉLIS EXÉRCITO

Àcerca da aquisição dos tão almejados helicópteros NH90, que o Exército anseia adquirir para equipar a sua futura Unidade de Aviação Ligeira, a sediar na antiga Base Aérea 3, que esteve em Tancos, transcrevo um escrito que ontem recebi, via mail, do meu especial Amigo Luis Mesquita, ilustre Coronel Piloto na situação de Reforma. O texto reza assim:
" Tenho acompanhado as notícias que saíram nos últimos dois dias àcerca dos helis do exército e estou surpreendido. Primeiro com o custo do programa referido pelo CEME (130 milhões), quando fontes credíveis, próximas do processo, falam em 600 milhões e mais 50 milhões apenas para a lista inicial de sobressalentes ! Depois os novos rádios a 900.000 € por unidade, (!!!) não é engano, novecentos mil), ou seja mais 10 milhões para os rádios, por ajuste directo, tal como a aquisição dos hélis em 2001 !!! Estes ajustes directos dão muito jeito em vésperas de campanhas eleitorais. Perante isto já nada é para admirar, mas sempre gostava de saber se estes rádios serão revestidos a ouro e cravejados de diamantes. E serão para falar com quem? Por este preço devem dar para falar directamente com Deus. Entretanto o destino reservado a estes helicópteros (e destes rádios...) será, com toda a probabilidade muito idêntico ao dos novos 40 carros Leopard, parados há anos julgo que em S. Margarida, por falta de verba para a sua manutenção. Aliás até nem houve verba para a manutenção do cabo do slide que se partiu, originando a marte trágica e indesculpável duma jovem estudante, que caíu no erro de acreditar que estava a lidar com uma instituição com uma cultura de segurança e prevenção de acidentes, que até se considera apta a operar helicópteros. Mais uma vez os Sr.s FT's que nem sequer tiveram capacidade logística para manter as "Chaimites", fizeram um programa sem definirem os requisitos operacionais, como a FAP fez nos diversos projectos, nomeadamente no do F16 (1ª. Esquadra), em que 20 aviões novos, a adquirir por 650 milhões de USDólar, ficou por 500 milhões USD e ainda se adquiriu um simulador de voo, que não estava inicialmente previsto. Ora 650 milhões de Euros por 10 helicópteros (sem contar com todos os apoios de manutenção que o Exército não tem !!!) quando já não há pilotos para os operar, nem mecânicos para os manter, é mais uma brilhante decisão destes políticos que nos levam à bancarrota, porque não sabem fazer contas e, principalmente, respeitar dinheiros públicos. Tudo isto a ser pago pelos constribuintes e fundamentalmente pelos reformados !!! Comaça a chegar a hora !!!!"
Comentários para quê? Quem fala do que sabem é digno de ser ouvido... e o Coronel Mesquita põe o dedo em algumas feridas... que muitos não querem vêr... PORQUE SERÁ?

Sem comentários: