quinta-feira, 29 de setembro de 2011

POLÍCIAS... AGORA AGARREM-OS, se podem!

Quando do PREC, logo após o 25 de Abril, quando valia tudo, mesmo o tirar olhos, assistiu-se a uma cavalgada frenética e sem freio pela aquisição dos tão afamados direitos à greve, com as promessas das representações cívicas das Polícias e Forças Militares a jurarem por todos os santinhos das suas devoções, com a benção dos cardeais vermelhos de então, Cunhal e Otelo a darem força à luta contra a reacção... e a lançarem polícias uns contra os outros, na célebre acção dos "SECOS E MOLHADOS", e a aceitação da criação de assocciações defensoras das classes, dentro da PSP, da GNR e por aí fora.
Hoje, com um País a necessitar de união para vencer a tremenda crise que tem Portugal à beira do abismo, vêm os senhores clamar pela falta de dinheiro... que foi coisa que nunca existiu nos meus tempos difíceis a servir nas fileiras do Estado Novo. Se fazia barulho... calculem o que me acontecia, mas havia sempre maneira de lutar.
Falam hoje do congelamento de vencimentos... mas não sabem que eu e os meus camaradas, na 1ª. Classe de Comportamento, com as Medalhas de Exemplar Comportamento devidamente homologadas, as Medalhas de Mérito Militar, as Medalhas das Campanhas, os Louvores e tudo aquilo a que um bom Militar fazia jus... estivemos mais de 18 anos a aguardar promoção! Mas não assaltámos o Ministério das Finanças a chamar gatuno ao Ministro! Fomos ensinados a respeitar, a ter disciplina... mas hoje não se sabe o que isso é nas organizações que deveriam ser exemplos de civismo para o Povo Português.
É por isso que quando acontece qualquer problema entre a Polícia e os cidadãos, havendo um uso desnecessário de força, foi sempre o civil que foi o mausão da festa. E o colega, que até nem estava presente no momento, jura que tudo foi como consta do relatório. Falta de disciplina, de valores, de carácter como aquele que era apanágio dos Guardas da PSP ou Soldados da GNR de então.
Apesar de o sindicato respectivo afirmar que os oficiais da PSP estão "perfeitamente cientes das dificuldades do país", recusa-se a que haja um tratamento diferente para estes e mostra "total disponibilidade" para "colaborar com o Governo" na resolução destas questões.
No entanto, Sindicato Nacional dos Oficiais de Polícia acrescenta que
se não forem encontradas "soluções a curto prazo", os oficiais de polícia estão "preparados para o endurecimento das formas de luta".
Os ânimos exaltaram-se ao final da tarde de ontem, quarta-feira, junto ao Terreiro do Paço, em Lisboa. Os cerca de dois mil profissionais dos serviços e forças de segurança tentaram aproximar
-se do Ministério das Finanças e só um cordão policial, de membros da Equipa de Intervenção Rápida da PSP conseguiu travar os manifestantes, que acabaram por desmobilizar.
"
Gatuno" gritavam os polícias que, desde quarta-feira se têm manifestado, exigindo ao Governo a colocação nas novas tabelas remuneratório em vigor desde 2010.
"
Nós só queremos o que é nosso por direito" apelavam na deslocação para o Ministério das Finanças.
O desfile era encabeçado por profissionais das forças de segurança fardados.
Foi para isto que aconteceu ABRIL de 1974?

Sem comentários: