quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

ANO VELHO... ANO NOVO...

Quem esteja atento ao que o Ano Velho deixou como legado, não lhe custará reconhecer estar o Pai do Céu muito zangado com o modo algo permissivo usado pelo Zé Povinho para 'honrar' os propósitos que manifestou serem compromissos para 2011.
Tudo saíu furado, pois não se deu dignidade de vida ao Povo, não se aumentou a capacidade de este se sentir feliz, não se cuidou dar-lhe melhores cuidados de saúde, melhor remuneração para o seu trabalho, melhor justiça a todos os níveis, mais segurança em todos os campos da vivência como seres humanos ávidos de serem alcandorados à condição de alguém que está primeiro no pensamento dos que deveriam reger a Pátria como uma 'terra de felicidade' e não como um 'buraco' apenas acessível a uns quantos 'iluminados' que um dia foram bafejados pela ingenuidade de alguns outros que pensaram numa revolução para Portugal... esquecendo que também as consciências deveriam ser revolucionadas, para que Abril viesse a dar frutos de justiça.
E são os Militares aqueles que mais têm sofrido a falta de caráter que se vem vivendo no nosso quotidiano. Não apenas eles, mas principalmente.
Já está esquecido terem sido os Militares a restaurar a esperança no porvir. Foram 'parvos' porque acreditaram nas varejeiras que esvoaçam, não vendo que aquilo que vem habituado a 'alimentar-se' de 'massas fecais' tarde ou nunca se irá saciar com 'alimentação racional', como  uma 'caldeirada de bom senso' ou um 'cozido à justiceiro', por exemplo. Preferem dar de barato que o 'fast food' é que é, que a 'comidinha plástica' satisfaz os gostos mais requintados, logo também o fará aos ingénuos que teimam em gritar por justiça social, trabalho, paz, pão, educação, saúde e outras balelas mais.
2011 está a passar... 2012 vai chegar encontrando Portugal a tentar 'safar-se' de uma situação insustentável legada por um energúmeno que o roubou a esmo, escudando-se na imunidade que lhe foi conferida por uma lei que apenas serve os desígnios de quem nos rouba. Com ele toda uma cáfila de próceres da desgraça alheia, que também usaram e abusaram da confiança que neles o Povo depositou, pois foram os acólitos dos desastrados caminhos que Zé Sócrates um dia trilhou... para mal dos nossos pecados.
Esperamos que 2011 seja realmente um corte no passado e 2012 possa ser o renascer da esperança num futuro que esperamos ridente, porque basta de sofrer em prol de alguns, que engrossam o rol dos ricos em detrimento daqueles que passam fome e passam a acreditar que é possível haverem sido abandonados por Deus, porque o 'Espírito de Natal' está contaminado pelo 'Espírito Consumista'... e isso paga-se caro!
Mesmo assim, um Bom 2012 é o que se deseja!    

Sem comentários: