sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

EXAME DE CONSCIÊNCIA ÀS TROPAS - continuação


EXAME DE CONSCIÊNCIA ÀS TROPAS
"Por outro lado as responsabilidades dos militares não se limitam à Instituição de cujos antepassados são agora os sucessores (e não há instituição mais antiga no país!). Os militares têm responsabilidade em tudo o que se passa em Portugal, como cidadãos de corpo inteiro, e especiais responsabilidades naquilo que possa pôr em perigo a Segurança da Nação e a sua Independência (jurámos todos defender isto com risco de vida e tal não prescreve na reserva, reforma, nem nos cidadãos que cumpriram o SMO).
Ora também neste âmbito, raramente topei com alguém que fosse além da conversa de escárnio e maldizer à volta de uma boa bacalhoada, âmbito em que continuamos imbatíveis.
Vou arriscar dar, também, alguns exemplos neste particular:
  - Recordam-se quando virámos costas ao mar (e ao passado) comprometendo o futuro, até ver, irremediavelmente?
  - Recordam-se do modo irresponsável como entrámos na Comunidade Económica Europeia?
  - Recordam-se como entrámos no Euro sem estarmos em condições de o fazer?
  - Recordam-se como assinámos os tratados de Maastricht, Nice e Lisboa, que põem em causa a nossa independência, sem se explicar nada à Nação nem se fazer referendo?
  - Recordam-se como se fez a última revisão constitucional (que passou despercebida), em que se instituiu o primado da legislação oriunda de Bruxelas sobre a nacional, ainda por cima sem que nada a tal nos obrigasse?
  - Recordam-se como deixámos a nossa cultura, economia e finanças ser invadidas pelos espanhóis, país com quem temos a única fronteira que nos resta e cujas ambições passadas, ainda vamos conhecendo?
  - Recordam-se de como temos vindo a alienar todo o nosso património, sobretudo aquele que é estrategicamente relevante? (depois de termos trocado as verbas dos fundos estruturais pela destruição do aparelho produtivo!);
  - Recordam-se de como há décadas se passou a enviar políticos aos pares (não se sabendo como nem quem os escolhe), a reuniões internacionais de que ninguém conhece a agenda, e que são guardadas por forças de segurança e militares, pagas pelos impostos dos cidadãos e que, depois, esses políticos aos pares têm vindo, sucessiva e maioritariamente, a ocupar os cargos de PM e PR?
Quando uns malandrotes madeirenses andam, irresponsavelmente, a agitar o fantasma da independência, isso tem-vos causado, ao menos, algum franzir de sobrolho?
Quando a irresponsabilidade política quer acabar com o feriado do 1º de Dezembro - verdadeiro símbolo da nossa individualidade como Nação - isso causa-vos algum transtorno?
 Querem mais exemplos?
Pois parece que muito poucos de vós se tem apercebido disto, a avaliar pela passividade evidenciada, ó tropas!
 Começaram agora a acordar pois... estão a ir-vos ao bolso. Mais ainda estão aturdidos com o soco e sem saber o que fazer. A pancada ainda só agora começou. É curto e está tarde (embora valha mais tarde do que nunca).
 Julgam que o atrás apontado não configura uma invasão e por isso estão "serenos"? Invasão militar, não será, mas as consequências são as mesmas ou piores. Vou expor de outro modo para melhor se perceber: a presença da Troika no Terreiro do Paço é idêntica à da Duquesa de Mântua no Palácio Real, protegida pela Guarda Alemã no Castelo de S. Jorge...
 Hoje estou disposto a bater-me por quê? Eis a súmula do exame de consciência. Ficar indignado ou reagir só quando vos vão ao bolso é curto e fica tarde. E só acontece por falta de reacção a montante.
Nós nem sequer temos que ter serenidade para aceitar o que não podemos mudar, nas palavras do ilustre desconhecido, pela simples razão de que tudo o que se tem passado podia ter sido evitado ou mudado. Faltou apenas a noção do que é geopoliticamente relevante, bom julgamento e alguma coragem."
João José Brandão Ferreira
  TCor/Pilav(Ref)
...
Para quem peretenda dissecar aquilo que a coragem de dizer do Tenente Coronel Brandão Ferreira demonstra em mais um dos seus escritos, melhor seria procurar ler tudo o que ele nos diz nas suas intervenções colocadas no seu blog O ADAMASTOR. É que, para quem o conheça, é fácil 'entender' as suas 'mensagens', que mais não são que chamar 'os bois pelo nome'!
Nós, os Militares, estamos cientes de que é necessário 'agitar' as águas para que alguém se possa aperceber que estamos fartos de ser os parentes pobres da sociedade portuguesa! Se a canalha que diz governar meter as mãos à consciência, saberá que está a 'pagar' com injustiças, roubos e destruição de muitas famílias que já haviam sofrido com as ausências dos seus entes queridos 'atirados' para o Ultramar nos tempos conturbados da guerra pelas independências.
O Ten.Cor. Brandão Ferreira torna-se incómodo para muitos... porque diz o que não há a coragem de dizer por parte de muitos de nós, talvez porque julgamos não merecer a pena lutar mais... e isso é que 'eles' pretendem: VENCER PELO CANSAÇO!
Será que vamos deixar?

Sem comentários: