segunda-feira, 29 de outubro de 2012

REINVENTEM, PÁ!...

Centro de Estágios para Formação de Oficiais Generais da GNR
Tenho andado intrigado com o facto de os Oficiais superiores da GNR não terem percebido que servem um País onde o "QUERO...POSSO...MANDO..." dos senhores da governança é por demais evidente. Como a Guarda sempre foi um suporte da chamada 'ditadura Salazarista', não cuidou o Governo que pudesse haver alguma contestação às vontades expressas pelas altas instâncias do País, como é o caso do Ministro da tutela, que procura vêr no actuais Chefes Militares os 'yes, sir' sempre prontos para tentarem fazer  a defesa dos seus próprios  'tachos', realidade que  é constatada,  infelizmente, na acção de determinados 'senhores da guerra'.
O verdadeiro 'busílis' desta questão é o venerando, querido, adorado, reverenciado, idolatrado e mais que venerado alto magistrado da Nação, que não há meio de se penitenciar pela porcaria que tem feito em prol do Povo que teve a desgraçada ideia de o colocar no poleiro de Belém!
Esse senhor é que deveria tomar consciência de que tem para com Portugal um dever a cumprir... e esse dever não é contribuír para o martírio de um Povo que clama por justiça social. Porque será que este senhor de Belém não deseja vêr Oficiais Superiores da Guarda Nacional Republicana serem promovidos a Oficiais Generais?
Alguns Oficiais Superiores reclamaram da nomeação de Oficiais Generais do Exército para suprir as vagas (?) existentes na Guarda, onde já se encontram a fazer estágio (?), segundo notícias recentes, mas a mão pesada da justiça caíu inexorável sobre dois desses 'malfeitores contestatários', pelo que dois deles se viram exonerados das funções que exerciam, sem apelo nem agravo. Tinham alguma coisa que pedir no Tribunal providência cautelar para evitar a 'nomeação' dos dois novos Generais?  
Meia centena de oficiais superiores da Guarda Nacional Republicana  ameaçam mover um processo em tribunal contra o Comando Geral caso este não divulgue as listas para promoções.
Em requerimento foi solicitado ao Comando Geral da Guarda Nacional Republicana (GNR) a "divulgação da informação, por escrito e de acordo com a lei, das listas dos oficiais que preenchem os requisitos para serem promovidos a Tenente Coronel e a Coronel".
"Caso o Comando não divulgue as listas, os oficiais avançam para tribunal", porque o "acesso à informação é um direito constitucional previsto na lei, o que não tem acontecido desde 2008, o que é ilegal", do ponto de vista do direito administrativo.
"Está previsto na lei que o comandante geral da Guarda divulgue, até 15 de janeiro de cada ano, as listas com os nomes dos oficiais em condições de serem promovidos", de acordo com o artigo 315 do regulamento da GNR.
Não é estranho que  se considerem excessivos os Oficiais Generais nos Ramos das Forças Armadas...mas não haja limite para os Generais da GNR? Porquê? Se a 'Tropa' não é já necessária -  se é maltratada será porque estão fartos dela... - porque não acabam de vez com ela? Não será possível a GNR fazer as vezes de Exército, Armada e Força Aérea? É que pouco falta para isso, uma vez que têm todas essas valências e mais algumas... como seja a estima e confiança total do Governo. Reformulem, reorganizem, façam aquilo que melhor sabem fazer: INVENTEM! 

2 comentários:

MMS disse...

Caro Victor Elias, peço-lhe que entre em contacto comigo para o e-mail marta.ms20@cmjornal.pt. Grata pela atenção. Marta Martins Silva

MMS disse...

Caro Victor Elias, peço-lhe que entre em contacto comigo para o e-mail marta.ms20@gmail.com ou martasilva@cmjornal.pt. Enganei-me no comentário anterior. Grata por tudo, MMS