segunda-feira, 5 de novembro de 2012

ATÉ QUE ENFIM... REVELARAM-SE!

E que chamas tú vocação? Servir a tua Pátria e por ela dar a própria vida? Não ter um horário que te permita ter uma vida consentânea com o sonho que um dia acalentastes de ter uma família? Estar sempre pronto a cumprir com os teus deveres, conforme te comprometestes perante a Bandeira, quando perante ela fizestes o teu Juramento?
Hoje não é possível saber até que ponto podes confiar na 'Tropa fandanga' a que os (des)Governantes condenaram as Forças Armadas... pois não há da parte das entidades chamadas responsáveis pela instituição castrense, qualquer vontade política em dar dignidade e prestigiar as Forças Militares. Essa excelsa personagem que ostenta o pomposo título de Ministro da Defesa não é uma pessoa  capaz de discernir entre o que são Forças Armadas e Arrumadores de Automóveis. Um Militar, para ele, é um alvo a abater... se não é da sua côr... que espero seja diferente do vermelho comuna, apesar de ele, Aguiar Branco, dever ser azul por nascença.
Sabes uma coisa? Se fosse hoje que tivesse de servir nas Forças Armadas... mandava esta Tropa às malvas. Ter vocação não é ser 'tanso', parvo, 'pau mandado' por alguns que  nem sabem sequer o que significa Jurar Bandeira. Vocação para ser Militar é algo que nasce no coração de cada um e se corporiza no desejo de SERVIR A  PÁTRIA. 
Fique à vontade o excelso coveiro das Forças Armadas, que os Militares estão habituados a fazer marchas e não é a retirada do desconto nos combóios que os deita abaixo. Se eu estivesse ao serviço, era um orgulho cumprir missões de serviço a pé! Começava a missão no dia da incorporação e acabava a mesma no dia da passagem à 'Peluda'. Sei que precisam de dinheiro para os 'pópós' dos 'coveiros da Pátria' e assimilados. Não se compram carros novos para a canalha que nos destrói se não se conseguir comer mais uns cêntimos aos papalvos, 'Tropa' incluída.
Não se admirem que recomecem as deserções, como havia no meu tempo! Julgo que é tempo de os mandões governamentais olharem para o umbigo e fazerem um exame de consciência sobre aquilo que pretendem daqueles que os servem. O Funcionalismo é colocado a ridículo, a 'Tropa' é vilpendiada, às Forças de Segurança vão dando uma no cravo outra na ferradura, aos idosos e reformados tratam-os como 'lixo', como se eles fossem uma doença a erradicar... mas também a Saúde em Portugal está enferma!
Os Militares garantem continuar a transitar pela linha da contestação à destruição de tudo aquilo que se diz ter sido trazido em Abril de 74. Porque está provado que nada de bom se fez em Abril... porque em Abril águas mil, e só se vê meterem água por todos os lados aqueles que pugnam pela destruição. 
Não sei se também os familiares dos funcionários da CP têm suspensa a utilização gratuita dos combóios, tal como os pais, mães, amigos, cão e gato têm tido.
Quando ingressei na vida Militar, não havia descontos para Praças, pois apenas Oficiais e Sargentos tinham um desconto. Foi uma das reivindicações feitas no PREC que levou a que fosse concedido desconto a todos os Militares por parte da CP. Gostaria que a Tutela viesse informar como vão fazer para aqueles militares que moram em Viana do Castelo e estão a cumprir serviço em Tavira e vice-versa. Quem é de Fronteira e vai cumprir serviço para Tancos ou Santa Margarida... vai a pé?
Tenham juízo, senhores do Governo! Incomodem-se com esta injustiça, senhores CEM das várias Armas. O que está o CEMGFA a fazer a este respeito? 

Sem comentários: