domingo, 11 de novembro de 2012

Mãe anda sete dias com o cadáver de filho no carro

A gravidez foi escondida e quando o bebé nasceu já estaria morto. 
 
 
 Alojamento Digital.com
Uma mulher solteira, de 26 anos, natural de Santa Maria da Feira, na Maia, militar da Força Aérea, conseguiu esconder a sua gravidez todo o tempo de gestação. Quando deu à luz o bebé já estaria morto, como tal colocou o cadáver do recém-nascido dentro de um saco.
Mais tarde, sem mais ninguém a quem recorrer encontra-se com um amigo, a quem pede que queime o conteúdo do saco do Exército que trazia consigo, que já estava em estado de putrefação, alegando que seria um animal morto resultante de uma praxe do curso de formação de sargentos que fazia no Montijo.
O jovem aceitou o estranho pedido e guardou o saco nas traseiras da sua casa. Os pais do jovem, ao sentirem um cheiro nauseabundo vindo do saco foram investigar e confirmaram que se tratava de um bebé, com indícios de ter sido chamuscado.
...
 RTP notícias
A Força Aérea emitiu há pouco um comunicado. Nele pode ler-se que "o Chefe do Estado Maior da Força Aérea, General José Pinheiro, determinou a abertura imediata de um Processo de Averiguações, para apurar eventuais factos que tenham ocorrido em instalações militares."
 ...
«Militar manda queimar filho recém nascido» - Correio da Manhã
Por Redação
Angelique Kendal, 26 anos, cabo na Força Aérea, escondeu a gravidez de todos os elementos da Base Aérea do Montijo. Sozinha, deu à luz o filho, há mais de 10 dias e anteontem ao regressar à Maia, pediu a um amigo queimasse o cadáver, dizendo que era um animal.

Tirem a Força Aérea deste filme, pois não é a Instituição Militar que tem a culpa de haver pessoas fardadas sem carácter para envergar essa mesma farda, para mais colocar na cabeça a Boina Azul que tantos pugnaram por dignificar mas uma fulana qualquer vem pretender achincalhar.
A Base Aérea nº. 6 por certo não tem nada a ver com o assunto... a não ser que o cadáver fosse escondido dentro da Base, pois cheiraria mal, por certo e alguém teria de dar com a criança. Mas acredita-se que tenha ficado dentro do carro e este, estando parqueado, não deixou transpirar para fora aquilo que a Cabo havia feito.

Sem comentários: