sábado, 10 de novembro de 2012

TUDO MUDA...

...ainda que não mude a esperança que nos uniu, fiéis a uma divisa "POR MÉRITO PRÓPRIO", significando 'À mais pequena solicitação', a Força Aérea, uma componente das nossas Forças Armadas,está a ficar minada pelo vírus MDN que vai ficando disseminado a cada dia que passa, perante a inércia dos doutos senhores que tomam conta da coutada 'TROPA', vai-se destruíndo cada vez mais, porque abandonada ao seu destino. 
Estivemos a cumprir a nossa Missão de soberania em África e na Oceania sempre dotados de vontade em erguer bem alto a nossa Bandeira e a da Força Aérea. Utilizámos armas que nem o mais avisado ousaria pensar, pois não era por acaso que havia uma Mauser à nossa disposição, com 3 cunhetes de 5 munições por homem, contra as “SIMONOV”, "Kalashnikov",  "PPSh" Russas. Como arma de utilização pessoal para tiro rápido, que tal a nossa querida e saudosa FBP? Os aviões eram o que eram... mas os T6 foram de uma utilidade extraordinária, a par das DO27 ou  Auster, pois os "FIAT" e os "F" eram heranças de outras guerras e nada há para dizer senão... 'bestiais, pá!'. Os 'Hélis' merecem uma página dourada no contexto "GUERRA DO ULTRAMAR", porque talvez Winston Churchill estivesse a pensar nos nossos rapazes quando disse: "NA HISTÓRIA DOS CONFLITOS HUMANOS, NUNCA TANTOS DEVERAM TANTO A TÃO POUCOS!". Não era só a 'sua' RAF mas também a nossa que estava a ser consagrada. 
Felizmente não calhou à Força Aérea trazer Portugal de Angola embrulhado debaixo do braço. Pelos belíssimos serviços prestados à causa de Angola independente, coube em sortes ser a Marinha de Guerra a desempenhar essa Missão. Para honrar o Alto Comissário de então? É que os outros até se comportaram com dignidade na Guerra do Ultramar, pois não cometeram as acções que se conhecem de alguns "Kamaradas" no período pós 25 de Abril. Quando da saída de Angola muitos Militares deixaram lá um pouco da sua dignidade... e eles sabem quem são.  
 
Tudo mudou em Angola e a prova está à vista de todos! Já há indícios de que Angola pretende 'conquistar' Portugal seja de que forma fôr, sendo os mísseis uma razão para nos interrogarmos se não deixámos em África um monstro em construção, capaz de vir a sujeitar pelas armas que tem quem ouse fazer-lhe frente.
Lá diz o velho ditado: "NUNCA SIRVAS A QUEM SERVIU...". Os angolanos já mostraram do que são capazes... até pelo assassínio. Estejamos atentos.

Sem comentários: