sexta-feira, 22 de novembro de 2013

É FARTAR, VILANAGEM!!!


O PAÍS PORTUGAL ESTÁ DE LUTO! AS SUAS FORÇAS ARMADAS ESTÃO A SER MASSACRADAS PELA INCOMPETÊNCIA DE UM FULANO INEPTO, QUE NEM SABE O QUE É SER PORTUGUÊS QUANTO MAIS SER MILITAR... 
 "... se tratas os militares como civis, lembra-te que  vestir uma farda de militar é um dever patriótico que só as amélias, os inválidos e os órfãos não estão à altura, mas também quem é militar deve rever nos seus chefes categoria e para serem respeitados como tal, quando os militares vem nos seus chefes, directores e comandantes, lacaios destes políticos que perante qualquer ordem baixam a calcinha... os militares veem neste ministro um abrunho e um burgesso"                                    
                                            
  Tem mais espírito de Militar o mais pequeno desses Alunos que o pavão que pisa a passadeira. Talvez tenha sido a inveja que levou ao estúpido fim que o Branco da Defesa quis dar ao Colégio Militar.  
Aguiar Branco com a sua 'Capitoa açoriana' e o CEMFA
Porque o Hospital da Estrela foi vendido às escondidas, teve que retirar tudo para o Hospital da Força Aérea, agora baptizado das Forças Armadas, configurando-se situações tipo meter o Rossio na Rua da Betesga. E depois admiram-se que comecem a aparecer queixas, como esta que se segue:
.
"Excelentíssimos Senhores:
Com o devido respeito permitam que vos deixe algumas considerações de desagrado e algumas perguntas, as quais que gostaria de ver respondidas.
 O H.F.A. está um caos. Ninguém se entende, agora deixou de ser da F.Aérea e passou a geral, o que leva à constatação de que nem é carne nem é peixe.
Era suposto haver mais pessoal, dada a junção, mas dá-se o inverso. Despediram pessoal de todas as categorias incluindo médicos - anunciam-se mais saídas - e agora tudo está pior em termos de marcação de consultas e outros serviços.
Só alguns exemplos:
Em Ortopedia, para todo o universo de utentes, há 3 médicos. Então e os outros? Em Gastro depois de muito tempo fechada, abriu agora a consulta. Oftalmologia são meses de espera, Urologia, etc, etc, etc. O descontentamento é geral a todos os níveis, até médicos se lamentam.
Havia na Estrela a especialidade de cirurgia cardio toráxica mas só de vez em quando lá ia o médico. Agora, no Lumiar, não há essa especialidade. Pretendi marcar para cirurgia vascular na esperança de que pudesse ali apresentar o problema de um aneurisma abdominal que tenho. Só em Janeiro abrem as consultas e o médico ( que é só um ) só lá vai uma vez por mês. ( informação de quem me atendeu o telefone depois de horas e horas a tentar ser atendido ).
Mas então, foi para isto que se juntaram os hospitais militares num só? Que iluminado cérebro terá parido este aborto?. Será que consultaram os mais interessados, que são os doentes?. Se foi o atual MDN nada me admira porque, tal senhor, percebe tanto de FFAA como eu de um lagar de azeite, ele que nem recruta foi, e muito menos de serviços de saúde. Pessoa em que se nota forte tendência antimilitar não admirando, portanto, as decisões que vai tomando. É bom que se recorde que os hospitais militares foram constituídos para proporcionarem assistência a militares e suas famílias para a qual ( assistência ) neste momento se desconta 2.25% da pensão, sabendo-se que a partir de Janeiro passará a ser de 2.50%. E é esta assistência que me é proporcionada?. Agora que estou velho, cheio de mazelas, eu que jurei dar a vida pela Pátria, que fiz duas comissões no Ultramar, com uma carreira limpa com condecorações e louvores, sou assim tratado de modo tão vil e humilhante?.
Estou a fazer 80 anos, não tenho projetos de futuro nem quem dependa de mim, só gostaria, o que não será uma questão de gosto mas direito, que me fosse proporcionado um fim de vida digno.
No dia 3 de Setembro apresentei-me na urgência amparado a duas canadianas com uma crise de ciática. Fui medicado e fiz um RX, até aqui tudo certo. O pior foi que a Srª. Drª que me atendeu não soube interpretar o RX, lamentou-se de não estar ali uma colega de ortopedia que tinha ido almoçar. Receitou-me alguns medicamentos e mandou-me marcar uma consulta, a qual foi marcada para 25 de Outubro e porque havia uma vaga.
 De 3 de Setembro a 25 de Outubro com uma crise de ciática!!. Os Senhores aguentavam? Tive que resolver o problema no privado mas Senhores, NÃO É PARA AI QUE EU FAÇOS DESCONTOS!!!
Tenho imensas doenças:
glaucoma, faringite crónica, um pulmão parado, cardiopatia isquémica, hipertensão, gastrite erosiva, divertículos, coluna arrasada, artrite reumatoide, uma prótese num joelho e necessidade de implantação no outro; já fui operado 19 vezes e é esta assistência a que tenho direito?.
Com tanta espoliação que vai sendo feita à minha pensão ainda tenho que a emagrecer mais e recorrer ao privado para resolver os meus problemas de saúde?. Quando se diz que os militares têm tudo é necessário explicar bem: o militar só não paga os atos médicos no H.F.A. conforme  seu direito, pois para tal sofre os descontos mensais. Os familiares, com direito pelo militar, pagam todos os serviços de que usufruem e para levantarem os exames que façam têm que provar que os mesmos já estão pagos. Curiosamente a minha mulher, que é Funcionária Pública, que também tem desconto próprio no seu vencimento, está nas mesmas condições dos familiares dos outros militares.
Exmos. Senhores:
Este não é só o meu caso, é o de muitos camaradas que, como eu, dedicaram a sua vida à Pátria que, pelos visto, guiada pela mão de alguns incompetentes não me contempla.
P.S. - Como não considero que nada deste conteúdo seja de ordem confidencial e para que em democracia todos os atos devam ser claros, informo que esta carta irá ser divulgada por esta via.
Respeitosamente
Carlos Sousa da Silva Nuno
Sargento-Chefe reformado da F.Aérea"

1 comentário:

Anónimo disse...

Os militares tem culpa, os que fizeram o 25 de abril e os que se calaram com medo dos que o fizeram.Agora pagamos todos e os militares são humilhados.Por toda a corja que tem desgovernado o pais e se enche a custa dele.